LÍNGUAS CLÁSSICAS

Página de Estudos das Fontes Pesquisadas

    TEXTO ORIGINAL

    Legenda Maior - Miraculis IV,2

    2 
    1 Peregrinus quidam, invalidus corpore propter febris peracutae symptomata, quam fuerat ante perpessus, navi quadam subvectus, de ultramarinis partibus veniebat. 
    2 Ferebatur autem et ipse ad beatum Franciscum praecipuo devotionis affectu et eum sibi apud caelestem Regem elegerat advocatum. 
    3 Cum igitur necdum perfecte liber a morbo, sitis angustiaretur ardoribus, deficiente iam aqua, coepit alta voce clamare: ”Ite fidenter, haurite poculum mihi, quia beatus Franciscus vasculum meum aqua replevit”. 
    4 Mirum certe! Invenerunt vas aqua repletum, quod fuerat ante vacuum derelictum. 
    5 Alio vero die, cum tempestate suborta operiretur navis fluctibus (cfr. Mat 8,24) et procellis quateretur pervalidis, ita ut iam naufragare timerent, coepit idem infirmus subito clamore vociferari per navem: 
    6 ”Surgite omnes”, inquit, ”et beato Francisco venienti occurrite! Ecce, ad salvandum nos adest”, 
    7 sicque cum voce magna et lacrimis in faciem procidens, adoravit (cfr. Luc 5,12; Ioa 9,38). 
    8 Statim ad Sancti visionem omnem sospitatem resumpsit infirmus, et maris fuit tranquillitas (cfr. Mat 8,26) subsecuta.

    TEXTO TRADUZIDO

    Legenda Maior - Milagres IV,2

    2 
    1 Um peregrino, esgotado pelos sintomas de febre muito aguda que tinha sofrido, vinha voltando, de navio, do ultramar. 
    2 Também ele sentia-se atraído pelo bem-aventurado Francisco por um grande afeto de devoção e o escolhera como seu advogado diante do Rei celeste. 
    3 E como ainda não se livrara perfeitamente da doença, angustiava-se pelo ardor da sede, e, como faltava água, começou a clamar em voz alta: “Ide com confiança, daí-me de beber que o bem-aventurado Francisco encheu o meu corpo de água”. 
    4 Certamente admirável! Encontraram cheio de água o copo que tinham deixado vazio. 
    5 Outro dia, como viera uma tempestade que cobria o navio de água e o agitava em ondas enormes, de modo que já estavam com medo de naufragar, o mesmo doente começou a gritar pelo navio: 
    6 Levantai-vos todos, dizia, e correi ao encontro do bem-aventurado Francisco! Eis que ele veio nos salvar! 
    7 E assim, gritando e prostrando-se com lágrimas, adorou. 
    8 Na mesma hora, quando viu o santo, o doente recuperou toda a saúde e sobreveio a tranqüilidade no mar.