LÍNGUAS CLÁSSICAS

Página de Estudos das Fontes Pesquisadas

    TEXTO ORIGINAL

    Legenda Maior - Miraculis VI,5

    5 
    1 Mulier quaedam de partibus Aretinis, cum per septem dies partus discrimina sustineret, et iam in nigredinem versa, desperata esset ab omnibus, votum fecit beato Francisco et eius coepit morienis auxilium invocare. 
    2 Emisso autem voto, celeriter obdormivit viditque in somnis (cfr. Gen 28,12) beatum Franciscum se dulciter alloquentem ac requirentem, utrum faciem ipsius agnosceret, et an antiphonam illam Virginis gloriosae: ”Salve, Regina misericordiae” sciret ad honorem eiusdem Virginis recitare. 
    3 Qua respondente, se habere notitiam de utrisque: ”Incipe”, ait Sanctus, ”antiphonam sacram, et antequam compleas, paries cum salute”. 
    4 Ad hanc vocem evigilavit mulier et cum timore coepit dicere: ”Salve, Regina misericordiae”. 
    6 Cumque illos misericordes oculos precaretur fructumque commemoraret uteri virginalis, continuo cunctis liberata pressuris, infantem peperit speciosum, gratias agens Reginae misericordiae, quae per beati Francisci merita ipsius dignata fuerat misereri.

    TEXTO TRADUZIDO

    Legenda Maior - Milagres VI,5

    5 
    1 Uma mulher da região de Arezzo tinha suportado por sete dias as dificuldades do parto e, já começando a ficar escura, desesperada de tudo, fez um voto ao bem-aventurado Francisco e, moribunda, começou as invocar seu auxílio. 
    2 Mas logo que fez o voto começou a dormir e viu em sonhos o bem-aventurado Francisco falando com ela docemente e perguntando se era capaz de reconhecer seu rosto e sabia rezar aquela antífona da Virgem gloriosa: “Salve, Rainha de misericórdia”, feita em sua honra. 
    3 Como ela respondeu que sabia as duas coisas, o santo disse: “Começa a antífona sagrada; antes de acabá-la vais parir com saúde”. 
    4 Ouvindo essa voz, a mulher acordou e começou a dizer com temor: “Salve, Rainha de misericórdia”. 
    5 Quando ela estava suplicando àqueles olhos misericordiosos e recordando o fruto do útero virginal, foi imediatamente libertada de todas as pressões, deu à luz um menino bonito, dando graças à Rainha de misericórdia, que, pelos méritos do bem-aventurado Francisco, dignara-se ter misericórdia dela.