LÍNGUAS CLÁSSICAS

Página de Estudos das Fontes Pesquisadas

  • Fontes Franciscanas
  • Fontes Biográficas
  • Tomás de Celano
  • Segunda Vida (2Cel)

TEXTO ORIGINAL

Secunda Vita (2Cel) - 142

142 
1 Non solum autem humilem se praebebat vir Dei (cfr. Iudc 13,6) maioribus sed etiam paribus et abiectis, paratior moneri et corrigi quam monere. 
2 Unde cum die quadam vectus asello, quia debilis et infirmus pedes ire non poterat, per agrum cuiusdam rustici tunc laborantis transiret, rusticus ille ad eum currens, interrogavit sollicite, an ipse foret frater Franciscus. 
3 Cui cum vir Dei (cfr. Iudc 13,6) seipsum esse de quo quaerebat, humiliter respondisset: “Stude”, ait rusticus, “adeo bonus esse, ut ab omnibus diceris, quia multi confidunt de te (cfr. Heb 6,9). 
4 Quare te moneo, ut numquam de te sit aliter quam speratur”. 
5 Vir autem Dei (cfr. Iudc 13,6) Franciscus haec audiens, de asino se misit in terram, et coram rustico provolutus, osculabatur pedes eius (cfr. Luc 7,38) humiliter, gratias agens ei (cfr. Tob 11,7), quod eum dignatus est monere. 
6 Cum igitur famae tam celebris esset, quod velut sanctus a plurimis habebatur, vilem se coram Deo et hominibus (cfr. Rom 12,17) reputabat, 
7 nec de celebri fama, nec de sanctitate qua pollebat superbiens, sed nec de multis tam sanctis fratribus et filiis sibi datis in suorum remunerationis (cfr. 2Cor 6,13.18) principium meritorum.

TEXTO TRADUZIDO

Segunda Vida (2Cel) - 142

142 
1 Mas o homem de Deus era humilde tanto diante dos grandes como de seus iguais e dos mais desprezados, pois estava mais preparado para ser admoestado e corrigido que para dar conselhos. 
2 Por isso, num dia em que, fraco e doente, não podendo ir a pé, passou montado num burrinho pelo terreno em que estava trabalhando um rude camponês, este foi correndo perguntar se ele era Frei Francisco. 
3 O homem de Deus respondeu humildemente que era ele mesmo, e o outro disse: “Trata de ser tão bom como todos dizem, porque são muitos os que confiam em ti. 
4 Por isso te aconselho a não seres diferente daquilo que esperam de ti”. 
5 Ouvindo isso, Francisco, o homem de Deus, saltou do burro para o chão, prostrou-se diante daquele homem rude e lhe beijou os pés com humildade, agradecendo-lhe porque se tinha dignado dar-lhe conselhos. 
6 Apesar de ser tão famoso e tido por muita gente como santo, achava-se um miserável diante de Deus e dos homens, 
7 e não se ensoberbecia nem com a fama célebre nem com a santidade e nem mesmo com os muitos irmãos e filhos santos que lhe tinham sido dados como começo da recompensa por seus merecimentos.