LÍNGUAS CLÁSSICAS

Página de Estudos das Fontes Pesquisadas

  • Fontes Franciscanas
  • Fontes Biográficas
  • Tomás de Celano
  • Segunda Vida (2Cel)

TEXTO ORIGINAL

Secunda Vita (2Cel) - 159

Contra otium et otiosos.

Caput CXVIII - Revelatio sibi facta, quando esset servus Dei et quando non.

159 
1 Ex quo vir este coepit, caducis abiectis, Domino cohaerere (cfr. Zac 13,17), vix particulam temporis vacuam abire permisit. 
2 Revera cum in thesauris Domini multas iam intulisset (cfr. Dan 1,2) copias meritorum, semper novus, semper ad spiritualia exercitia promptior. 
3 Non aliquid boni agere (cfr. Rom 9,11) gravem ducebat offensam, non semper procedere retrocedere iudicabat. 
4 Cum enim semel apud Senas in cella maneret, vocavit ad se quadam nocte socios dormientes dicens: “Rogavi Dominum (cfr. 2Cor 12,8), fratres, ut mihi ostendere dignaretur, quando servus eius sum (cfr. Ps 118,125), et quando non servus. 
5 Nam vellem”, inquit, “nihil aliud quam servus exsistere suus. 
6 Ipse vero benignissimus Dominus sua mihi nunc dignatione respondit: ‘Servum meum (cfr. Ps 88,21; Iob 1,8)’ tunc te cognosce veraciter, cum sancta cogitas, loqueris, operaris. 
7 Ideo vocavi vos, fratres, quoniam coram vobis verecundari volo, si quando horum trium nullum effecero”.

TEXTO TRADUZIDO

Segunda Vida (2Cel) - 159

Contra a ociosidade e os ociosos.

Capítulo 118 - Revelação que lhe foi feita: quando era servo de Deus e quando não era.

159 
1 Desde que este homem começou a se ligar ao Senhor, desprezando as coisas que passam, mal permitiu mais que fosse desperdiçada a menor fração de seu tempo. 
2 De fato, apesar de já ter acumulado abundantes méritos nos tesouros do Senhor, estava sempre renovado, cada vez mais disposto para os exercícios espirituais. 
3 Achava que já era uma ofensa grave deixar de fazer alguma coisa boa, e que não avançar continuamente era retroceder. 
4 Numa ocasião, em Sena, estando em sua cela, chamou à noite os companheiros que estavam dormindo e lhes disse: “Irmãos, roguei ao Senhor que se dignasse indicar-me quando sou seu servidor e quando não sou. 
5 Porque eu não quero ser senão seu servidor. 
6 Em sua bondade, o próprio Deus bondosíssimo me respondeu: ‘Podes ter a certeza de que és meu servo quando pensas, falas e executas coisas santas’. 
7 Foi por isso que vos chamei, irmãos. Por isso, quero me envergonhar diante de vós se alguma vez não fizer alguma dessas três coisas”.