LÍNGUAS CLÁSSICAS

Página de Estudos das Fontes Pesquisadas

  • Fontes Franciscanas
  • Fontes Biográficas
  • Tomás de Celano
  • Segunda Vida (2Cel)

TEXTO ORIGINAL

Secunda Vita (2Cel) - 219

Caput CLXV - Quomodo sanctus pater apparuit cuidam fratri post transitum.

219 
1 Alteri fratri vitae laudabilis, tunc temporis orationi suspenso, nocte illa et hora, gloriosus pater pupurea dalmatica vestitus apparuit, quem turba hominum innumera sequebatur. 
2 A qua se plurimi sequestrantes, dixerunt ad fratrem: “Nonne hic est Christus (cfr. Ioa 7,26), o frater?”. Et ille dicebat: “Ipse est” (cfr. Mat 26,48). 
3 Alii vero iterum perquirebant dicentes: “Nonne hic est sanctus Franciscus?”. Frater ipsum esse similiter respondebat. 
4 Videbatur revera fratri et omnium comitantium turbae quod Christi et beati Francisci una persona foret. 
5 Quod a sane intelligentibus nequaquam temerarium iudicatur, cum qui adhaeret Deo, unus spiritus (cfr. 1Cor 6,17) fit cum ipso, et ipse Deus omnia in omnibus (cfr. 1Cor 12,6) sit futurus. 
6 Pervenit tandem beatus pater cum illa turba mirabili ad amoenissima loca, quae aquis irrigata (cfr. Ez 31,14) praeliquidis omnium virebant graminum venustate, et florum decore vernantia, arborum omni delicioso genere replebantur. 
7 Erat ibi palatium magnitudinis mirae ac pulchritudinis singularis, quod alacriter intrans novus accola caeli, cum in eo fratres plurimos reperisset, supra mensam splendidissime praeparatam et variis refertam deliciis, coepit cum suis delectabiliter epulari.

TEXTO TRADUZIDO

Segunda Vida (2Cel) - 219

Capítulo 165 - Como o santo pai apareceu a um irmão depois no pensamento.

219 
1 A um outro frade de vida louvável, suspenso em oração naquela noite e naquela hora, o glorioso pai apareceu vestido com uma dalmática de cor púrpura, acompanhado por uma multidão numerosa de pessoas. 
2 Muitos, que saíam dessa multidão, disseram ao frade: “Irmão, será que esse é o Cristo?” Ele respondia: “É ele mesmo”. 
3 Mas outros também perguntavam: “Mas não é São Francisco?” O frade também dizia que era ele mesmo. 
4 E, de fato, tanto para o frade como para todos aqueles que o acompanhavam, dava a impressão de que Cristo e São Francisco eram uma só pessoa. 
5 Os que sabem entender bem não vão achar temerária essa afirmação, porque aquele que adere a Deus torna-se um só espírito com ele, e o próprio Deus vai ser um só em todo no futuro. 
6 Finalmente o bem-aventurado pai chegou, com aquela admirável multidão, a lugares agradabilíssimos, muito verdes pelo viço de todas as gramíneas irrigadas por água muito límpida, em plena primavera de flores e repletos de árvores de todas as espécies deliciosas. 
7 Levantava-se aí um palácio de tamanho admirável e de beleza ímpar, em que o novo habitante do céu entrou alegremente, indo encontrar lá dentro muitos frades. E começou a se banquetear gostosamente com os seus numa mesa esplendidamente preparada e cheia das mais variadas iguarias.