LÍNGUAS CLÁSSICAS

Página de Estudos das Fontes Pesquisadas

    TEXTO ORIGINAL

    Secunda Vita (2Cel) - 11

    11 
    1 Mira res et nostris saeculis inaudita (cfr. Ioa 9,32)! 
    2 Quis non stupet ad ista? Quis quandoque similia intellexit? 
    3 Quis Franciscum iam redeuntem ad patriam apparuisse dubitat crucifixum, cui, adhuc mundo plene exterius non contempto, novo et inaudito miraculo de ligno crucis loquitur Christus? 
    4 Ab ea igitur hora liquefacta est anima eius, ut dilectus ei locutus est (cfr. Act 20,28). 
    5 Patuit paulo post amor cordis per vulnera corporis. 
    6 Nequit ex tunc propterea continere a fletu, etiam alta voce Christi passionem quasi semper coram oculis positam plangit. 
    7 Replet gemitibus vias, nullam consolationem admittit recordans plagarum Christi. 
    8 Intimum sibi obvium habuit quemdam amicum, cui causa patefacta doloris, statim amicus dire provocatur ad lacrimas. 
    9 Verum sanctae illius imaginis non obliviscitur gerere curam, nec mandatum eius aliqua negligentia praeterit.
    10 Extemplo dat cuidam sacerdoti pecuniam (cfr. Luc 19,15), ut lampadem emat et oleum, ne sacra imago vel ad momentum debito lumini honore fraudetur. 
    11 Impiger deinde ad perficienda reliqua currit, reparandae illius ecclesiae indefectibilem operam praebens. 
    12 Nam licet de illa Ecclesia divinis sibi factus sit sermo quam Christus proprio sanguine acquisivit (cfr. Act 20,28; Gen 15,1), noluit repente fieri summus, paulatim de carne transiturus ad spiritum (cfr. Rom 8,9).

    TEXTO TRADUZIDO

    Segunda Vida (2Cel) - 11

    11 
    1 Coisa admirável e inaudita em nosso tempo! 
    2 Quem não se há de admirar? Quem já viu coisa parecida? 
    3 Quem não acreditará que Francisco apareceu crucificado quando já estava indo para a pátria se, mesmo quando não tinha desprezado plenamente o mundo exterior Cristo lhe falou da cruz, em um milagre novo e inaudito? 
    4 Desde essa hora, derreteu-se a sua alma quando o amado se dirigiu a ele. 
    5 Pouco depois, o amor do coração padeceu pelas feridas do corpo. 
    6 Mas desde essa época foi incapaz de conter o pranto, e chorou a paixão de Cristo, colocada quase sempre diante de seus olhos. 
    7 Enchia os caminhos de gemidos, e não admitia consolação alguma lembrando-se das chagas de Cristo. 
    8 Um dia encontrou um amigo íntimo e também o levou a chorar amargamente quando contou a causa de sua dor. 
    9 Mas não se esqueceu de cuidar daquela santa imagem nem deixou, por alguma negligência, de obedecer a sua ordem. 
    10 Na mesma hora deu dinheiro a um padre para comprar uma lâmpada e óleo, para que a imagem não ficasse um só momento sem a devida honra de luz. 
    11 E, sem preguiça, tratou de fazer o resto, trabalhando sem cessar na reparação daquela igreja. 
    12 Porque, embora lhe tivesse sido falado divinamente da Igreja que Cristo conquistou com seu próprio sangue, não quis ir de repente ao alto, porque devia passar aos poucos da carne para o espírito.