LÍNGUAS CLÁSSICAS

Página de Estudos das Fontes Pesquisadas

  • Fontes Franciscanas
  • Fontes Biográficas
  • Tomás de Celano
  • Segunda Vida (2Cel)

TEXTO ORIGINAL

Secunda Vita (2Cel) - 33

33 
1 Cum autem veniret Senas ad locum fratrum, erat ibi sanctus Franciscus. 
2 Mirum certe! mox ut vidit (cfr. Phip 2,23) illum sanctus, profugit ab eo (cfr. Mar 14,52), et in cella raptu propero se recludit. 
3 Commoti fratres, percunctantur causam fugiendi. Quibus sanctus: “Cur miramini fugam, qui non advertitis causam? Ad orationis confugi praesidium, ut liberarem erroneum. 
4 Vidi in filio, quod de iure displicuit: sed ecce iam Christi mei gratia delusio omnis discessit”. 
5 Flexit se in genibus (cfr. 2Par 6,13) frater, et cum verecundia se culpabilem proclamavit. 
6 Cui sanctus: “Indulgeat tibi Dominus, frater. Sed caveas de caetero, ne sub specie sanctitatis a tua religione et fratribus separeris”. 
7 Factus est autem proinde dictus frater congregationis et societatis amicus (cfr. Prov 18,24), illis maxime devotus collegiis, in quibus regularis observantia magis viget. 
8 O magna in concilio iustorum et congregatione opera Domini (cfr. Ps 110,1.2)! 
9 In ea siquidem vexati continentur, elisi eriguntur (cfr. Sap 3,5; Ps 144,14), tepidi provocantur, in ea ferrum ferro acuitur (cfr. Prov 27,17) et frater a fratre adiutus quasi firma civitas (cfr. Prov. 18,19) stabilitur; 
10 et licet prae turba saeculari Iesum videre non possis (cfr. Luc 19,3), minime tamen impedit angelica turba caelorum. 
11 Tantum ne fugias, et vitae coronam fidelis usque ad mortem accipito (cfr. Apoc 2,10).

TEXTO TRADUZIDO

Segunda Vida (2Cel) - 33

33 
1 Quando chegou a Sena, onde moravam os frades, lá estava São Francisco. 
2 Coisa admirável! Logo que o santo o viu, fugiu dele e foi correndo fechar-se em sua cela. 
3 Os frades ficaram desconcertados e perguntaram por que tinha fugido. Respondeu o santo: “Por que vos admirais de minha fuga, se não conheceis o motivo? Fugi para a proteção da oração, para livrar um errado. 
4 Senti nesse meu filho alguma coisa que justamente me desgostou. Mas agora, pela graça de meu Cristo, já afastou-se todo engano”. 
5 O irmão se ajoelhou e se confessou culpado, todo envergonhado. 
6 Disse-lhe o santo: “Deus te perdoe, irmão. Mas toma cuidado daqui para frente para não te separares de tua religião e de teus irmãos mesmo a pretexto de santidade”. 
7 Desde então, esse frade passou a ser amigo da congregação e da sociedade, e tinha especial devoção para com os grupos em que mais imperava a observância regular. 
8 Como são admiráveis as obras do Senhor quando os justos se reúnem e se congregam (cfr. Sl 110,1.2)! 
9 Porque então os tentados resistem, os caídos são levantados, os tíbios são estimulados, o ferro se afia no ferro e o irmão é ajudado pelo irmão como uma cidadela inabalável. 
10 E embora por causa da multidão secular não possas ver Jesus, não o impede absolutamente a multidão dos anjos do céu. 
11 Apenas não fujas, e fiel até a morte, receberás a coroa da vida (cfr. Ap 2,10).