LÍNGUAS CLÁSSICAS

Página de Estudos das Fontes Pesquisadas

    TEXTO ORIGINAL

    Secunda Vita (2Cel) - 53

    53 
    1 Sublato siquidem illo, verso penitus ordine, immutata sunt (cfr. Sap 2,15) omnia; nam bella et seditiones (cfr. Luc 21,9) invaluere ubique, et diversarum mortium strages subito regna plura pervasit. 
    2 Famis quoque immanitas se longe lateque diffudit, et ipsius crudelitas, quae rerum omnium acerbitates exsuperat, absumpsit quam multos. 
    3 Omnia enim necessitas tunc vertit in cibum, et quae brutis non edere usus fuit, humanis conficienda dentibus ingerebat. 
    4 Nucum siquidem testis et arborum corticibus conficiebantur panes, nec filii mortem, ut loquamur mitius, sicut confessione cuiusdam claruit, fame compulsa paterna pietas doluit. 
    5 Sed ut liquido clareat quis servus fuerit ille fidelis (cfr. Mat 24,45), pro cuius amore animadversio divina manum suspenderit a vindicta, beatus pater Franciscus, post mortem suam paucis elapsis diebus, fratri cui vivens futuram praedixerat cladem, se illum fore Domini famulum manifeste detexit. 
    6 Nam nocte quadam, cum frater ille dormiret, clara eum voce vocavit dicens (cfr. Ioa 11,28): “Frater, iam venit fames quam, donec viverem ego, venire super terram (cfr. Ps 104,16) Dominus non permisit”. 
    7 Excitatus frater ad vocem, retulit postomodum cuncta per ordinem (cfr. Est 15,9). 
    8 Tertia vero nocte post haec iterum illi sanctus apparuit et verba similia replicavit.

    TEXTO TRADUZIDO

    Segunda Vida (2Cel) - 53

    53 
    1 Quando ele nos foi tirado, houve uma alteração e tudo ficou diferente. Guerras e revoluções se espalharam por toda parte, e de uma hora para outra muitos reinos foram invadidos por calamidades mortais. 
    2 Uma fome atroz se estendeu em todas as direções, e sua crueldade, superando todos os males, acabou com muita gente. 
    3 A necessidade transformou tudo em alimento, e os homens puseram nos dentes o que nem os animais costumam comer. 
    4 Chegaram a fazer pães com cascas de nozes e de árvores. Para falarmos um tanto veladamente, há testemunhas para confirmar que nem a morte de um filho chegou a comover um pai torturado pela fome. 
    5 Mas, para que fique bem certo quem era aquele servo fiel, por cujo amor a mão de Deus estava suspendendo a vingança, o bem-aventurado pai Francisco, poucos dias depois de sua morte, apareceu ao frade a quem tinha predito a desgraça e afirmou claramente que era ele aquele servo do Senhor. 
    6 Certa noite, estando o frade a dormir, chamou-o com voz clara e disse: “Irmão, já chegou a fome que Deus não permitiu que viesse sobre a terra enquanto eu estava vivo”. 
    7 Acordado pela voz, o frade contou depois tudo por ordem. 
    8 Mas na terceira noite depois disso o santo apareceu de novo e repetiu palavras semelhantes.