LÍNGUAS CLÁSSICAS

Página de Estudos das Fontes Pesquisadas

  • Fontes Franciscanas
  • Fontes Biográficas
  • Tomás de Celano
  • Segunda Vida (2Cel)

TEXTO ORIGINAL

Secunda Vita (2Cel) - 96

Caput LXII - De horis canonicis devote reddendis.

96 
1 Horas canonicas non minus timoratus quam devotus reddebat. 
2 Nam licet oculorum, stomachi, splenis et hepatis aegritudine laboraret, nolebat muro vel parieti, dum psalleret, inhaerere, sed horas semper erectus et sine caputio, non gyrovagis oculis, non cum aliqua syncopa persolvebat. 
3 Cum per mundum pedes ibat, semper ad dicendum horas suas gressum figebat; cum vero eques, descendebat ad terram. 
4 Unde cum die quadam reverteretur ab Urbe et continue plueret, ad dicendm officium de equo descendit, diuque stans, totus fuit in pluvia balneatus. 
5 Dicebat enim aliquando: “Si quiete corpus comedit cibum suum, futurum cum ipso vermium esca, cum quanta pace ac tranquilitate debet anima cibum suum, qui est Deus suus, accipere”.

TEXTO TRADUZIDO

Segunda Vida (2Cel) - 96

Capítulo 62 - Sobre as horas canônicas, que devem ser recitadas com devoção.

96 
1 Rezava as horas canônicas com devoção e não menor respeito. 
2 Mesmo doente dos olhos, do estômago, do baço e do fígado, negava-se a se encostar no muro ou na parede durante a salmodia. Rezava as horas em pé e sem capuz, sem vaguear os olhos e sem interrupções. 
3 Quando ia pelo mundo a pé, sempre parava para recitar o ofício. Se estava a cavalo, apeava. 
4 Num dia em que vinha voltando de Roma e estava chovendo muito, desceu do cavalo para rezar o ofício e ficou tanto tempo em pé que acabou encharcado na chuva. 
5 Às vezes dizia: “Se o corpo tem uma hora de descanso para tomar o alimento que, como ele, vai ser pasto dos vermes, com que paz e tranqüilidade deve a alma tomar seu alimento, que é o seu Deus!”